terça-feira, 24 de agosto de 2010

A dança



Ouçam a musica enquanto lêem e simplesmente sintam...
Lumiava o horizonte, o seu corpo era lua que dançava na noite errante. O lusco-fusco estava vivo em forma de gente, era crepúsculo e alvorada ao mesmo tempo em sua mente. Paisagens em seus montes nascendo, era o ritmo da vida em suas veias pouco a pouco crescendo... O sangue harmoniosamente pulsava e todas as moléculas e átomos em sua volta a musica dançava, enquanto seguiam-se os minutos nos pelos que tinha sobre o corpo... Arrepiados... Fitava a imagem do instante em que sons e movimentos materializavam-se em sua volta, tomando formas nítidas, ritmadas, usando os compassos do corpo como forma de expor seus sentimentos, pronúncia do silêncio em movimento, sua expressão corporal era a expansão dançante de suas emoções. A sua habilidade de captar os movimentos do mundo e trazê-los para si estava completamente aflorada em seu corpo, alma, e espírito...
Dançar já não era apenas mais uma verdade, ela sentia-se dança em sua totalidade, era desejo em movimento, necessidade. Sentia o seu corpo criando formas ordenadas em sua trajetória curvilínea pelo ar, repleto de força e energia, desenhos esculpidos em nuvens bailando ao som do vento a fascinavam e mesmo o zig-zag frenético dos carros no trânsito possuía a magia do movimento. Mecânica clássica, vai e vem do pêndulo na catedral, gravitação, incerto processo de medida, o espaço e o tempo já não eram mais absolutos ao seu olhar e tudo em sua volta era regido pela velocidade que crescia indefinidamente em seu interior.
Espaço – corpo,
Velocidade – luz,
Aceleração – coração,
Impulso – viver,
Tempo – sempre!
Eis o efeito do ser dinâmica: Ação impregnada de agitação! E ao longe rompia-se a série de sons e ritmos envolventes que a impulsionava impetuosamente, uma mistura de danças e estilos a inundava, cachoeira. O Braille dos sentires ditado e interpretado no corpo pelas mãos do movimento, sincronia para além do uso das palavras, o enigma da arte do corpo decifrado no contato e nos gestos que unem fôlegos e ares:
A DANÇA!
Completamente baseada em sentimentos e emoções, permitindo-a experimentar visitar fronteiras: Entre a queda e o equilíbrio, o ritmo. Entre a flexibilidade e a solidez, movimento. Braços e mãos elevam-se lentamente buscando equilíbrio entre as polaridades, dedos a colherem estrelas sapecadas sobre si, quadril ergue-se, vai e vem, ventania, leveza que invade o movimento vital dos pulsos, expressão de vida em andamento, refletido em seu corpo estavam todos os pensamentos que lhes ofereciam asas sobre o céu de sua existência.
De forma intensa o sentimento comandava o gesto, alcançando assim à plenitude do movimento cuja expressão é a fonte. Oposições, paralelismo e sucessões a fazia, ao movimentar o corpo, esculpir a luz em gestos. Não havia resistência, dançando o corpo, dançava a alma, par perfeito envolto pelo sentimento que exprime a vida interior, busca impetuosa a impulsão do plexo solar. E todos os seus músculos, veias e órgãos estavam disponíveis a traduzir seus impulsos interiores penetrando no mito e extraindo dele os elementos do prazer oculto no som, no ritmo, em linhas fluidas e ondulações que irrompiam de seu corpo, sensualidade uníssona explodindo em balanços transferidos de um lado ao outro do corpo, mãos atrás da cabeça, cabelos atados ao vento, ilíaco indo e vindo em lateral, dança (d)o ventre...
E intuitivamente entregava-se, intensa, psíquica, profunda, misteriosa, ao mesmo tempo em que graciosa em sua natureza expressiva. E dançava as horas nos ponteiros do relógio o tango compassado e eterno do tempo. Bailava também os olores em pares com os sabores o balé que sacia a fome do desejo. Ela sentia, dançavam em si mesma a noite e o dia, o seu corpo sempre foi sol e lua embalados ao som da ventania.
Dica Cardoso
P S: Deixo registrado a musica que me inspirou esse texto. Escutei-a durante todo o tempo em que escrevia. Seu ritmo peculiar, exótico, ao mesmo tempo clássico, sua melodia forte e impulsiva, dotada de força e expressões, a dualidade vocal e sons compassados e vivos vindo de instrumentos absolutamente desejáveis, contribuíram para que brotassem de mim as palavras ditas acima, pois me fizeram viver intensamente 'A dança!'
El tango de Roxanne( Ewan McGregor/Jacek Koman/José Feliciano) – Trilha do filme Moulin Rougin
Abraços no coração!

26 comentários:

AC disse...

Seja bem-vinda! E, no regresso, traz-nos logo esta dança, plena de intensos sentires...
Gostei muito de todo o texto, mas permita-me que destaque estes registos:
"Dançar já não era apenas mais uma verdade, ela sentia-se dança em sua totalidade, era desejo em movimento, necessidade."
"E dançava as horas nos ponteiros do relógio o tango compassado e eterno do tempo. Bailava também os olores em pares com os sabores o balé que sacia a fome do desejo. Ela sentia, dançavam em si mesma a noite e o dia, o seu corpo sempre foi sol e lua embalados ao som da ventania."

Obrigado!

Beijo :)

Daniel Savio disse...

Desde os primórdios, a dança serve para conectar, as vezes com os niveis superiores e até com a nossa parte mais animal, mas com certeza, a dança continuara a fazer a alegria de muitas gerações futuras...

Fique com Deus, menin Dica Cardoso.
Um abraço.

Machado de Carlos disse...

Canto...Canto...Canto...

De longe vislumbro tua alma bela!...
Linda tua imagem nua, meu ser delira!
Perco-me, frágil, na tua imensa luz!
Já tenho o teu brilho. O brilho do Sol.

... és especial, o milagre da rosa!
Nunca vira alma de altiva escultura
Mergulho nos teus olhos tão belos,
eles cintilam só para mim, linda Deusa!

De longe contemplo teu raro brilho
Amor, tua alma é envolta de luz;
Tu és linda jóia, frágil brilhante!

Deliro no milagre do teu rosto
Preciso de ti, bela música!
Ouço o dedilhar das notas da lira!...

Machado de Carlos

Pérola disse...

Bela inspiração,uauuuuuuuuu.
Babei na leitura,devo confessar que vc é maravilhosa.
Parabénssssssssssss.
Obrigado pelo carinho da sua visita,já estava com saudades.
Beijo grande.

Mulher na Polícia disse...

Para entender e apreciar a dança em sua plenitude é imprescindível ouvir a música com o coração.

"Oposições, paralelismo e sucessões a fazia, ao movimentar o corpo, esculpir a luz em gestos. Não havia resistência, dançando o corpo, dançava a alma, par perfeito envolto pelo sentimento que exprime a vida interior, busca impetuosa a impulsão do plexo solar. E todos os seus músculos, veias e órgãos estavam disponíveis a traduzir seus impulsos interiores penetrando no mito e extraindo dele os elementos do prazer oculto no som, no ritmo, em linhas fluidas e ondulações que irrompiam de seu corpo, sensualidade uníssona explodindo em balanços transferidos de um lado ao outro do corpo, mãos atrás da cabeça, cabelos atados ao vento, ilíaco indo e vindo em lateral, dança (d)o ventre..."

Haja fôlego! Que coisa mais linda, amiga!!!

Beijinho, linda!

flaviopettinichiarte disse...

muito Obrigado pela tua mensagem, com Respeito ao texto, como sempre! Belissimo e profundo,,não tenho dúvidas que a Dança é a palavra do Corpo!! Bum dia de serenidade para ti!!
bjs!

Sandra Botelho disse...

Poxa...Quando te li e fui ouvindo a musica...
Foi como se eu me transportasse para o teu universo.
Como se pudesse ver sua dança, como se sua dança fosse uma vida inteira em uma harmonia, intensa.
Lindo, tocante e apaixonante.
Você é muito especial, alem de lindissima.
Bailarina...
Bjos achocolatados e cheios de admiração.

Pena disse...

Oh, Majestosa e Simpática Amiga:
Peço desculpa por só comentar agora. Agradecia sua compreensão, sim?
Um Post mágico em que a dança admirável e extraordinária narrada brilhantemente por si ganha contornos de sublime ser e sentir.
"...Dançar já não era apenas mais uma verdade, ela sentia-se dança em sua totalidade, era desejo em movimento, necessidade. Sentia o seu corpo criando formas ordenadas em sua trajetória curvilínea pelo ar, repleto de força e energia, desenhos esculpidos em nuvens bailando ao som do vento a fascinavam e mesmo o zig-zag frenético dos carros no trânsito possuía a magia do movimento..."

Perfeito. Genial. Fabuloso.
Beijinhos agradecidos à sua simpatia encantadora.
Sempre a respeitá-la e a admirá-la.

pena

Excelente.
Bem-Haja, pela simpatia, deslumbrante amiga.
MUITO OBRIGADO pela honra da sua amizade que é recíproca.
Adorei o seu texto. De fascinar.
Parabéns.

Machado de Carlos disse...

Em cada nota soa uma canção. E na canção ouvem-se passos de uma dança. E na dança sinuosa, uma silhueta mostra sua cadência. É a fada que nos alegra diante de uma contemplação infinita!...
Beijos Meus!...
Escreva sempre!

AC disse...

Voltei. E, ao som da música, ousei rodopiar com as palavras, inebriar-me na sua linguagem de sentidos à solta...
Foi viagem sentida, intensa, até à última gota de suor...

Beijo :)

Wolber Campos disse...

Dica! Tudo bem?

Nossa, gosto muito do seu jeito de escrever, sempre, ao mesmo tempo, claro e subjetivo, embora isso pareça um paradoxo. Putz, eu que estou viajando agora... rs

E este texto, ao som da música, realmente foi um barato total! Vê-se sua inspiração, pois quando lemos, sentimos a força e beleza do som que nos entra agradavelmente pelos ouvidos. Assim como suas palavras entram por nossos olhos.

É sempre bom passar por aqui!

Aliás, muito obrigado pelas palavras em meu blog. Fiquei muito feliz.

Grande abraço e bom fim de semana!

Machado de Carlos disse...

Uma música muito linda. Um poema que nos leva ao som de notas musicais. E, além de tudo, sensações oriundas de uma poetisa com um olhar todo carismático. Leio teus poemas, vislumbro tua arte como fossem uma prece. Uma soma dos benefícios que ganhamos, quase sempre sem que percebamos.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Oiê, querida!
Peraí que já volto, tenho que pegar o Explorer.
Beijos no coração!
Estou contigo!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bravo! Lindo! "De forma intensa, o sentimento comandava o gesto" ...dançando o corpo, dançava a alma"
"Ela sentia, dançavam em si mesma a noite e o dia, o seu corpo sempre foi sol e lua embalados ao som da ventania".
È encantador, do jeito que tanto gosto e vídeo é maravilhoso! Parabéns!
Minha querida nova amiga!
Saiba que pra mim vc é especial. Neste momento, muitos dos que estão aqui me acompanham; eu estou sofrendo muito, re.atualizando todos os blogs, na minha medida, e nenhum deles é capaz de estender-me a mão. Mas, tudo bem, não é a primeira vez, nem será a última. Isso é o de menos. O importante é que vc apareceu. Eu te acompanho de todas as maneiras que posso.
Beijos, minha Linda!
Renata

Machado de Carlos disse...

Dica,
“Que bom que você veio!”
A Lua em si; é uma poesia eterna. Inicialmente ela acompanha a Terra em todas as suas estações.
Depois, a Lua com toda essa poesia, nos encanta durante as noites estreladas. Ela canta, dança, escreve poesias e pinta tela maravilhosas! Encanta os nossos olhos!
A lua tem várias fases.
O interessante é que conseguimos ver um lado dela: — O lado em que o Sol se espelha.
— E o outro lado da Lua? O lado escuro. Para nós ainda é um mistério!...

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

O meu problema é de saúde também, sem blablablá. Todos aqui o sabem.
Não serei sempre presente, como vc. Mas ofereço-lhe o que posso, na minha medida.
Porém, há algo entre nós que não tem preço e nem vc nem eu, precisamos dar tempo uma à outra: a nossa amizade.
Muito obrigada, minha nova amiga!
Beijos no coração*
Renata

Amor feito Poesia disse...

""(...) Deveria chamar-te claridade
Pelo modo espontâneo
Franco e aberto
Com que encheste de cor o mundo escuro..."

...(Vinicius de Moraes)"


Beijos perfumados prá voce!! M@ria

Úrsula Avner disse...

Olá querida amiga,

aqui sempre encontro palavras expressivas, bonitas , confortantes... Agradeço seu carinhoso comentário em meu blog de poesias. Sua amabilidade me toca... Bj com carinho.

Livinha disse...

Dica, quanto sicronismo.
Sintonia coletiva, dos sentidos, valsando a mesma musica.
Perfeito quadro pintado e bem distribuido, onde o corpo em dança risca espaço, dar-se a nuanças quando um corpo assim volita...

Lindo de viver.

Saudades estava de ti
e me perdi por aqui...

Bjs

Livinha

Vivian disse...

...Dica querida,
teu post é maravilhoso.
e encantador.

és linda!

bjbj e obrigada pelos carinhos!

"Louvada seja a dança
porque ela liberta o homem
do peso das coisas materiais,
e une os solitários
para formar sociedade.

Louvada seja a dança,
que tudo exige e fortalece,
saúde, mente serena
e uma alma encantada.

A dança significa transformar
o espaço, o tempo e a pessoa,
que sempre corre perigo
de se desfazer e ser ou
somente cérebro, ou só
vontade ou só sentimento.

A dança porém exige o ser
humano inteiro ancorado no seu centro, e que não conhece
a obsessão da vontade de dominar
gente ou coisas, e que não sente
a demonia de estar perdido
no seu próprio ser.

A dança exige o homem livre e aberto vibrando na harmonia de todas as forças.

Ò homem, ò mulher, aprenda
a dançar senão os anjos do céu
não saberão o que fazer contigo."

Santo Agostinho

A.S. disse...

Dica...

Belissimos estes momentos deliciosos que partilhas aqui neste teu belo espaço!!! Adorei...

Beijos
AL

Helena Castelli disse...

Vale à pena sempre retornar a este canto cheio dos mais incríveis encantos.

"A dança é a linguagem escondida da alma."
(Martha Graham)

Beijos carinhosos.

Anônimo disse...

Haa cunhadinhaa

QUe texto lindoo,diria que a musica causa todos esses efeitos em mim,diria que como a dança meche com seus sentimentos suas palavras se encaixam perfeitamente com a musica na minha vida,conseguiu descrever meus sentimentos...
Parabens querida,nunc deixe de postar aqui viu...
Ps: eu ja tinha comentado mas não foi mandando novamnete...
beijão
Sheylla

Daniel Savio disse...

Anda sumida menina, espero que esteja bem...

Fique com Deus, menina Dica Cardoso.
Um abraço.

Folhetim Cultural disse...

Parabéns pelo blog e pelos textos... Tenho um blog chamado Folhetim Cultural gostaria que visita-se este é o endereço: informativofolhetimcultural.blogspot.com
Vamos trocar conhecimentos...
Ass: Magno Oliveira
Folhetim Cultural

Anônimo disse...

É meu sonho conhecer a Bahia. Já tive amigos baianos. Gostaria muito de conhecer Salvador! Dizem: - meu mito é de São Salvador. Gostaria de ter vivido os idos de 1917 e, talvez encontrasse com Florinda Santos.
Mas hoje, infelizmente moro a 1.900 quilômetros de Salvador. O avião poderá romper o espaço com uma rapidez incrível. Então poderei correr pela Ladeira da Montanha. Quiçá encontre a Mulher de Roxo: - um roxo-violeta. Vestida de Anjo!... Entretanto imagino que talvez, a mulher usasse o roxo, mas também aparecesse toda de Azul, apresentando-se como a “Rainha Princesa!”. Talvez pudéssemos dormir abraçados, sonhar juntos lá nas pirambeiras da Rua Chile!
Um belo texto! Uma bela lembrança!...

(Comentário Publicado em: http://roxo-violeta.blogspot.com/ )

Related Posts with Thumbnails