quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Texto caprichoso!


Uma pausa ao capitalismo, ao racionalismo, aos engarrafamentos das grandes cidades, sim! Parem tudo! E quando digo engarrafamentos, não me refiro apenas aos gigantes congestionamentos de transito que tanto nos aprisionam e aborrecem em nossas longínquas tentativas de vai e vem na selva da cidade, mas também, a essa garrafa colossal, fria e civilizada do labirinto de individualidades em continuo crescimento, onde o novo homem está preso aos seus próprios interesses e na medida em que evolui busca engarrafar os sonhos, o fôlego, a sensibilidade, a utopia, os delírios destinados ao nosso mais intimo libertar de alma, emoções e paixões.

Agora, nesse exato momento, “o arrepio que sinto brotar no corpo e na alma” apos ouvir o canto da floresta, acaba de designar a sua cor, azul! Pois é, eu tenho a alma num tom de azul arco-íris de floresta e seu matiz vai desde o transparente das águas e o celeste do céu, até o verde de todos os tons das matas, alcançando o colorido das penas das aves, da arara azul ao gavião real, o estampado da pele das onças e a delicada proximidade entre o magenta e o branco dos botos cor-de-rosa.

E não só a minha alma foi transmutada, tendo a sua cor definida, como também o corpo. Sinto que essa roupa de pele branca que me veste nada mais é que o resultado fluorescente da união das cores do negro, do índio e do caboclo, que em mim alcançava uma nova linguagem a cada celebração ao amor, a força e a vida que magicamente emanava do povo, das toadas, das tribos, dos ritos azulados em seu caleidoscópio cultural, o bumbódromo. Ao ressoar de cada batida de tambor da marujada o coração sentiu a energia que ecoava como fogo regenerador em seus movimentos cardíacos e repetia em seu bater-cantado:

-“Eu - sou, eu - sou, eu - sou!”

Sim, “eu sou filha dessa terra”, distante, mais encantadoramente presente em minha essência, fonte de vida onde a natureza ainda exerce sua força magnífica, os seus afluentes são mananciais de água doce, terra bendita cujos encantos, belezas e mistérios são explicitados nesse festival de forma única e inigualavelmente azul... Um azul-esmeralda, precioso, azul todo verde, primoroso, azul todo cores, caloroso, azul todo pátria, caprichoso! Onde a alegria revela de uma terra os olores, as formas e os sabores. Um céu de cores de onde é destilada chuva de estrelas cadentes, sendo a maior de todas elas a branca, que carregando o seu cristal de lua, rodopia na imensidão da beleza, boi caprichoso é a estrela da natureza.

Sunna França

(Texto escrito com a finalidade de ressaltar o festival de Parintins, uma festa cultural que canta a vida, a cultura de seu povo e a natureza de forma singular, apresentando o folclore de raiz, sendo o mesmo texto dedicado ao boi caprichoso, que teve como tema em 2010 o canto da floresta, desenvolvendo um trabalho brilhante pelos seus artistas criadores das alegorias, apresentador, levantador de toadas, marujada, amo do boi, sinhazinha e outros itens, tendo sido o referido boi o campeão de 2010. Parabéns Caprichoso! )

14 comentários:

MOISÉS POETA disse...

BELO TEXTO , MINHA QUERIDA !

ADOREI PASSAR POR AQUI...!

BEIJO GRANDE !

Maria Bonfá disse...

menina que lindo! me extasiei te lendo.. parabens.. essa mãe terra que sempre grita o descasdo com que a tratamos.. vc a descreveu de uma maneira linda..essa festa tão tradicional..sempre ressalta toda beleza da natureza.. obrigada por compartilhar comigo tanta beleza..beijão

Sylvia Araujo disse...

Linda festa, lindo texto, lindo o seu coração, Dica!
Não sabe como me orgulho de ter por perto pessoas tão sensíveis e incríveis como você.

Uma beijoca enorme

Bete disse...

Oi amiga, lindo texto!!

Eu particularamente adoro o azul!Azul nos traz a pureza, olho para o céu quando estou triste e vejo aquele imenso azul invadindo minha alma de esperanças! Sempre achei que a esperança tem a cor azul e não verde!

O azul que me inspira, ah o azul...igual a cor dos seus olhos amiga!!!

Um lindo dia e saudades!!!!!

Mil beijos no seu imenso e forte coração!!

True blue..(música da Madonna...rss)


:-)

Machado de Carlos disse...

Fiz um selinho com a imagem do seu blog e colei em meu blog. Caso você queira pode ser copiado lá. Gosto muito da sua página, transmite sempre um momento de muita Paz!
Obrigado!
Beijos.

Elaine Barnes disse...

Puxa vida como você escreve bem! Deliciei-me aqui com essa festa,esse culto as coisas da Terra e as nossas origens. Somos mesmo uma mistura perfeita. Adorei! Montão de bjs eabraços

Anônimo disse...

Tem os que passam
e tudo se passa
com os passos já passados
tem os que partem
da pedra ao vidro
deixam tudo partido
e tem, ainda bem,
os que deixam
a vaga impressão
de ter ficado

Alice Ruiz

Bom Fds com amor e poesia...M@ria

Poesias-Franciéle R.Machado disse...

A sensibilidade de suas palavras é extrema, isso é um ótimo sinal com toda a certeza.

Em um festa popular você exaltou a beleza que traz ao nosso corpo e a nossa alma, uma beleza que muitas vezes não se percebe, as cores, a alegria, que fazem com que a alma vibre a emoção! =D

Bjos.
Um ótimo Sábado!

Sandra Botelho disse...

Amiga e xará...
Que coisa mais linda de se ler e viver...
Essa festa assisto todo ano pela tv.
E acho a coisa mais linda do mundo.
Parabens pelo belo texto viu?
Bjos achocolatados

Sandra Botelho disse...

Deixando um beijo e toda minha admiração. Bjos achocolatados

Jorge Pimenta disse...

olá, dica!
acabo de te ver lá no viagens de luz e sombra e acabei por não resistir a espreitar o teu mundo pintado de tons azuis e verdes que escarram sobre os matizes cinzentos que bordam os horizontes desta nossa terra... chegaste a ver "into the wild", realizado por sean penn e com música do imbatível eddie vedder, dos pearl jam? pois, é a cara deste blogue.
parabéns pelo que mostras ser/ter por aqui.
um beijinho!

AC disse...

Estou cada vez mais encantado com a sua forma de sentir.

Beijo

Brasil Desnudo disse...

Bom dia Dica!!
Entrei aki por acaso, acabo me deparando com textos maravilhos, ainda mais esse, onde narra e contesta a irracionalidade do homens, onde ignora a Natureza como sua própria essência, e também, da grandiosa festa de Paratins, na qual tive o prazer de participar pos duas vezes...
Meus parabéns pela linda matéria e, ptericaselo belo conteúdo do blog..

Um belo dia pra Ti
Marcio RJ

Daniel Savio disse...

Somos uma miscigenação de raças, talvez por isto sejamos tão amaveis...

Fique com Deus, menina Dica Cardoso.
Um abraço.

Related Posts with Thumbnails