segunda-feira, 27 de julho de 2009

Quando escrevo...


Tranquiliza, resserena, pacifica,

Mansamente desfaz o abandono...

A alma evoca as profundezas líricas do existir,

Mesmo que a névoa ocupe os espaços do porvir,

As palavras são ecos dos passos que dou,

E por entre os corredores da insistência eu vou...

E insisto em ficar,

Aqui no esconderijo das palavras é o meu lugar,

Onde murmuram longínquas harpas ao toque do vento,

Catando das remargens o desgrenhamento...

E estrepitosamente lanço as palavras pelas fendas,

Catando aqui e acolá sedentamente quem me entenda,

E se por vezes desiludida escorro na correnteza,

No rio das palavras dou margem ao fim da tristeza...

Na calmaria mergulho de cabeça no oceano dessa loucura,

Dando asas aos segredos soltando-os livres na noite escura,

E se vago pelos trilhos agarrando-me ao trem da despedida,

As palavras me antecipam a chegada da pousada permitida...

Busco o encanto iluminado das eras,

Palavras salamandras, letras de quimeras,

E se dragões aventuram-se o meu brando canto queimar,

Palavras aladas, opalas liquidas vem ao fogo apagar...

Escrevo porque nas palavras teço a teia,

Das ilusões, dos devaneios que correm em minhas veias,

Caminho pelo vale das suplicas e preces,

Das altas muralhas de palavras que em minha volta permanece...

E mesmo não pedindo nada, sei que terei tudo,

Porque gritando às palavras, qual espaço seria surdo e mudo?

E sobre a pele embaçada as desenho sem escrúpulo,

e nas lembranças amaciadas as esculpo...

Palavras... Loucas, brandas, roucas, santas,

Infindas, sentidas, amadas, contidas...

Escritas são lampejos, sombras estelar,

De mais um cadente pedido que esteja a realizar...

Palavras aladas, uma a outra atada,

As escrevo e rabisco já realizadas,

Palavras iluminadas,

Sob a luz, respostas sapecadas...

Palavras que escrevo em liberdade e frêmito delírio,

Escrevo porque não temo por tal delito,

Palavras minh’alma, tecido em mão de lavadeiras de beira de rio,

Batidas, esfregadas, ensaboadas fio a fio...

No sossego de ter-las são mergulhadas,

Palavras – alma - lavadas...

Escrevo porque mereço

Essa paisagem escancarada e revelada!

Dica Cardoso

5 comentários:

Helena disse...

Brilhante!Quando você escreve tudo é perfeito e encantador.Não achei que alguem teria palavras para descrever tão perfeitamente tal ato e você fez como sempre faz,de forma espetacular e Brilhante!
Incrível tudo isso!
Não precisa nem pedir,motivos tem de sobra pra seguir em frente com teu projeto,mais lá vai:Não pare nunca!

Gabi disse...

Caramba!!!!!
Menina,vc vai longe!demoro de vir quando venho olha pra isso!Como diria vc:"Ó paí,ó!
Massa...Muito bom!Vc tem que pulblicar um livro menina,pensa nisso,são muito bons teus escritos!A Barbie aqui é fera na escrita!uau!!!
saudades e beijão!

Bete disse...

"That you are not alone
I am here with you
Though you're far away
I am here to stay
You are not alone
I am here with you
Though we're far apart
You're always in my heart
You are not alone..."


Michael Jackson

Anônimo disse...

As palavras fluem fáceis da sua imaginação e se unem perfeitamente em frases, versos e estrofes mágicas que nos acalentam e trazem paz. Nunca deixe de produzí-las, escreva sempre, mesmo q sem motivo, mesmo q sem se julgar inspirada naquele momento. Escreva sempre. É seu dom, é sua válvula de escape...e é nosso elixir diário de força e bons fluídos.
Sua fã. C.V.T.A.M.

Dalva disse...

LINDO!!!

Related Posts with Thumbnails